Os nómadas digitais viajam pelo mundo. Os turistas também. Mas desengana-te, porque se queres ser nómada digital, não vais ser um turista. Podes tornar-te um, mas não és um. As diferenças são simples e, abaixo, nós vamos explicar-te o que cada um faz de diferente.

Leitura recomendada:
Nomadismo Digital: tudo o que precisas de saber para te tornares um nómada digital

O que é um turista?

“Dia 24 temos que voltar às 16 horas”, “Já?”. E pronto, acabaram-se as férias.

Isto é turismo. Hora marcada para voltar para a vida cheia de rotinas, após ter uns belos momentos de pura liberdade. Esse é o diálogo que muitos turistas conhecem e a hora mais temida das suas viagens: a altura em que toda a magia da viagem termina.

No dia seguinte, por volta da hora de chegada, apenas conseguem pensar nas próximas férias que podem ter. Começam a marcar as férias para que coincidam com as do companheiro/a ou com as da família. Estes turistas têm que se contentar com 30 dias de férias num ano inteiro.

Isto quando as férias não atrasam e todo o ano é passado a trabalhar.

Turismo consiste nisto. Consiste em escolher algum local para visitar, aproveitar ao máximo uma semana. Nessa semana tudo tem que ser visitado, faça chuva ou faça sol.

Aquela é a semana que esses turistas têm, portanto não vão deixar que o mau tempo os impeça.

O que é um nómada digital?

Com o nomadismo digital a conversa é um pouco diferente. É necessário planear tudo com alguma antecedência, chegar ao destino e dormir, porque no dia seguinte há trabalho para fazer.

Um nómada digital pode chegar a um novo local e estar a semana toda sem sair de casa e, após x dias, decide ir visitar um pouco do que a cidade tem para oferecer.

Esta é a realidade de um nómada digital. Ele viaja, é verdade, mas não é um turista. Ele pode passar um mês numa cidade e, após esse mês, decidir ficar mais algum tempo. Ou porque ainda não teve oportunidade de ver tudo o que gostaria de ver, ou porque gostou, realmente, do local.

A razão não é importante, se ele quer ficar, ele fica. Não consegue explorar uma cidade num mês, explora em dois ou três.

Este é o estilo de vida que vais adotar como nómada digital. Viver onde queres. Como queres. No entanto, tens que trabalhar. O teu trabalho é a tua fonte de rendimento e, sem ela, não podes continuar o teu estilo de vida.

Um nómada digital pode ser turista?

Portanto, com tudo isto, a pergunta é: o nómada digital pode ser um turista? Vamos supor que tu chegas a um destino num sábado e tens muito trabalho por fazer.

Trabalhas no sábado, no domingo e na segunda-feira com o máximo de força que conseguires. Na terça-feira faltam-te os trabalhos mais pequenos e que requerem menos do teu tempo. Na quarta-feira, finalmente, terminaste todos os trabalhos e fizeste todas as finalizações necessárias, incluindo a entrega ao cliente.

Trabalho terminado na quarta-feira e isso significa que, se tudo correr bem, podes tirar a quinta-feira para fazer turismo!

Largas o trabalho, mochila às costas e o dia de quinta-feira é teu.

Neste momento tornas-te um turista na cidade que escolheste ser nómada digital. No entanto, na quinta-feira à tarde vais a casa para fazer algo, e dás-te conta que são necessárias umas alterações urgentes no teu trabalho. Quinta-feira à tarde acabou-se o turismo.

Este poderia ser um dia-tipo na vida de um nómada digital!

Tu podes fazer turismo na cidade que escolheste para ser nómada digital – ou nas cidades vizinhas –, mas no fundo não és turista. É um estilo de vida e de trabalho diferente, que te permite estar onde queres, a trabalhar naquilo que te faz feliz. Pronto para passares de turista a nómada digital?