“Não tenho tempo para começar a trabalhar remotamente, porque simplesmente o meu trabalho não me permite.”

“Trabalho das 09h às 18h, não tenho tempo livre para desenvolver a minha atividade remota. Devo abandonar o meu emprego para me dedicar a tempo inteiro a este meu sonho? Só assim é que isso pode dar certo?”

Errado.

Uma questão que me fazem muito é precisamente essa: qual é o momento certo para começar a trabalhar remotamente?

Nesta questão, existem dois grandes “grupos” de pessoas que defendem dois argumentos diferentes.

Algumas pessoas defendem que somente com total foco, total tempo e total concentração é possível criar uma atividade profissional remota de sucesso.

Ou seja, que precisamos de dedicar todo o tempo a essa atividade para a fazer crescer.

Outras, defendem que é possível criar uma atividade profissional remota de forma paralela ao nosso trabalho dito “tradicional”.

Neste vídeo, explico qual é a minha opinião sobre esta questão e de que forma acho que se deve começar a trabalhar remotamente.

Abandonar o emprego VS Começar devagar

Eu acredito que a estabilidade financeira é algo essencial para a felicidade profissional.

Aliás, este é um dos maiores medos de que tem até vontade para se lançar enquanto freelancer, por exemplo. O freelance é muitas vezes visto como uma atividade instável financeiramente, o que leva a muitos não arriscarem.

Esses medos que temos relativamente ao criarmos a nossa atividade profissional mostra a importância da estabilidade financeira. Ainda assim, pouco se falta dessa importância, sobretudo no início.

Faz-me confusão ver pessoas a “aliciar” e incentivar outras a deixarem os seus trabalhos fixos sem terem algo em concreto e validado.

Acho essencial ter-se a certeza do que se quer fazer remotamente, validar essa ideia e serviços e começar a construir nome e referência na área na qual nos posicionamos.

Quando se começa a sentir que sim, a ideia está mais do que comprovada, pode-se então dedicar todo o tempo ao projeto remoto.

A menos que tenhas poupanças que te permitem ficar sem ter um rendimento estável durante algum tempo, não acho que começar a trabalhar remotamente já com um desespero de que aquilo tem mesmo que dar certo seja o bom caminho.

Isso vai fazer com que a atividade que escolhemos como alternativa ao nosso trabalho esteja logo, desde o início, associada a um desespero – que pode dar certo, mas que se não der irá criar um desanimo e desespero ainda maior.

Clica aqui para veres o meu vídeo e entenderes melhor a minha opinião.