X

Como passar de um simples projeto a um verdadeiro negócio digital

A criação de um negócio digital não foi algo que tenha surgido naturalmente. Na realidade, essa ideia foi uma evolução de um projeto profissional que estava a dar certo e a fazer-me feliz. Voltemos atrás no tempo…

2015: o ano em que percebi que a corrida que fazia entre o estágio que não satisfazia, que a faculdade pouco valor me agregava e que o trabalho em part-time que servia apenas para pagar as contas me estava a encaminhar para um abismo que não queria passar aos 24 anos.

Numa noite, lembro-me que me sentei à frente do computador a procurar formas de ganhar dinheiro a partir de casa. Eu só queria ficar em casa. Fiz trabalhos de tradução online mal pagos, trabalhei por menos de 3€ por hora e, no meio dessas pesquisas, percebi que…

“espera, tem de haver uma forma de construir uma atividade profissional que seja realmente sustentável (financeiramente, sim!) e que me deixe feliz”

Mãos à obra. Sacrifiquei todos os meus tempos livres para perceber primeiro o que é que eu gostava de fazer, o que é que eu sabia fazer, o que é que eu poderia fazer combinado esses dois fatores e o que é que eu ainda precisaria de aprender.

Os interesses, as competências (pessoais e técnicas) e o mercado (posicionamento e validação da ideia) são precisamente os três pilares que trabalhamos no curso online Descobre a tua Área Profissional no Online. Clica aqui para saberes tudo sobre este curso online.

E foi assim que, um ano depois, em 2016, tinha a minha atividade como freelancer em Marketing Digital, a trabalhar apenas em português, a trabalhar à distância, que me trazia um ordenado. O meu pequeno projeto tornara-se o meu pequeno negócio digital. Sustentável. Regular.

E é precisamente sobre essa fase em que o meu trabalho por conta própria se tornou a minha atividade profissional e fonte de rendimento constante que te vou falar neste artigo.

Sei muito bem o que é essa fase desafiante onde sentes que és capaz (pois já tiveste resultado), mas em que te sentes isolado e sem conseguir escalar o projeto para algo sustentável financeiramente.

Espero que este artigo te ajude nesta fase que estás a passar – acredita, vai valer a pena alcançar o negócio digital que vais criar!

Analisa o que já tens

Já criaste conteúdo e já captaste alguma atenção e audiência com ele. Mas será que sabes o que é que teve mais atenção e receptividade?

Analisa todo o conteúdo que já criaste, nomeadamente posts de redes sociais, artigos de blog, newsletters, vídeos, etc., e analisa o que teve mais comentários, partilhas e leituras. Isso vai-te mostrar onde é que te deves focar.

Que conteúdo teu teve mais atenção, partilhas e comentários?

Por vezes temos tendência em querer fazer vários tipos de conteúdo. Mas… pensa bem também nos formatos e nos conteúdos nos quais vais investir o teu bem mais precioso: tempo.

Lembra-te que estás a escrever para uma persona, para uma audiência, não para ti. Tens que escrever conteúdos que resolvam as necessidades e os problemas dos teus leitores e potenciais clientes.

Identificados os conteúdos que tiveram maior atenção, porque não reutilizá-los e publicá-los em diferente formatos?

Ou seja, com o mesmo conteúdo que já está criado, podes testar diferentes formatos para teres assim mais material de análise. Assim vais percebendo, cada vez melhor, que tipo de posicionamento funciona melhor no teu projeto.

Cada pessoa terá o seu formato favorito e é importante que a tua mensagem chegue ao teu maior número de potenciais clientes, sobretudo numa fase de análise como tu estás agora.

A mensagem responde a uma necessidade específica, então não corres o risco de esta ser lida por quem “não interessa”.

Partilha e divulga os teus melhores conteúdos em diferentes formatos. Eis alguns exemplos:

  • Criar um audio do teu post em formato podcast ou até mesmo em vídeo;
  • Criar um infográfico com os pontos mais importante do teu artigo – podes usar ferramentas gratuitas como o Canva para isso;
  • Fazeres um vídeo à volta desse conteúdo e publicares no YouTube ou no IGTV.

Pensa sobre a tua visão e o teu plano de negócios

Antes de avaliares para onde tens que canalizar o teu tempo e energia, é importante que saibas exatamente para o que é que estás a trabalhar. E isto faz-se com uma visão e um plano de negócios.

Ter uma visão clara do que é que queres para o teu projeto significa que sabes exatamente o que é que queres fazer. O plano de negócios é, por outro lado, a caixa de ferramentas para lá chegares.

Visão

Vamos começar por trabalhar a visão do teu projeto.

O que é que queres fazer?

Sê específico na resposta – não precisa de ser uma resposta complexa, mas deve ser específica. Ou seja, por outras palavras a tua visão não deve ser apenas “criar um negócio como assistente virtual.

Ok, podes querer realmente criar um negócio como assistente virtual mas deves questionar-te:

  • Quero trabalhar para todo o tipo de pessoas?
  • Quero atender telefonemas ou trabalhas apenas com o digital?
  • Quero fazer marcações de agendas ou apenas gestão de documentação?

Criar uma visão para o teu projeto pode demorar algum tempo, mas uma forma de te inspirares é olhares para empresas ou projetos que admiras – podem ser de nichos e áreas completamente diferente do teu. Questiona-te porque é que gostas tanto desses projetos.

Isso pode ajudar-te a criar uma visão ampla do teu projeto, que englobe os serviços e o sentimento que queres provocar e necessidades que procuras resolver no teu público alvo.

Plano de Negócios

Já tens a visão do teu projeto? Boa, vamos então trabalhar na questão do plano de negócios. Um plano de negócios é algo importante num negócio e pode parecer algo bem complexo se fizeres pesquisas por planos de negócios empresariais.

Mas se o teu projeto está a começar, tem calma: não é preciso ser algo super complexo.

Muitas pessoas acham que um plano de negócios é apenas necessário quando estamos à procura de investimento ou para começar uma empresa.

Na realidade sim, nesses casos é necessário ter um plano de negócios bem estruturado e complexo, mas mesmo sem seguir por esse caminho é importante que tenhas um plano de negócio do teu projeto – mesmo que não o mostres a ninguém.

Um plano de negócios acaba por servir como um mapa ou um GPS para te ajudar a alcançar o teu destino (visão), sobretudo numa primeira fase em que estás ainda a começar.

Para explicar essa importância, faço muitas vezes a analogia com uma peça de mobília: compras um móvel de televisão que tem cinco portas diferentes e três prateleiras. Dentro da caixa tens vários parafusos, várias buchas e várias madeiras. No livro que acompanha, só vem uma foto do móvel montado no final. Sem nenhuma instrução! Como te sentirias?

Por mais que gostes de lego, aposto que te irias sentir um pouco perdido. Pois bem, um plano de negócios é um pouco como um livro de instruções!

O que um plano de negócios precisa de ter?

Conceito

Tens o teu projeto, o teu público alvo, o tipo de conteúdo que fazes e a tua visão. Esta é a parte do plano em que colocas tudo isso no papel:

  • Descreve o teu projeto e a tua visão
  • Define os teus objetivos
  • Pensa nos produtos e serviços que queres associar ao teu projeto
  • Se tens concorrentes, pensa no que te difere deles
Marketplace

Concentra-te no mercado onde te queres posicionar e para quem queres vender:

  • Que plataformas queres usar para vender e divulgar os teus serviços e produtos?
  • Quem e como é o teu cliente ideal?
  • De que forma pretendes captar a atenção desse potencial cliente?
Dinheiro

Já fizeste algumas pesquisas e até já ganhaste algum dinheiro com o teu projeto. Agora é a hora de explicares como é que vais gerir isso tudo na prática.

Esta parte é, normalmente, a parte que demora mais tempo a fazer, pois precisarás de fazer alguma pesquisa:

  • Custos iniciais com o projeto
  • Custos operacionais
  • Outros custos: marketing, aplicações, contratações, etc. •Investimento a fazer e plano de recuperação

Networking

Apresenta-te e relaciona-te com outros profissionais do teu nicho – quer seja teus concorrentes diretos ou não!

Portugal não é um meio digital grande, então se te juntares a quem já trabalha na área podes aprender imenso e agregar valor à audiência que essas pessoas já têm.

Não olhes para a concorrência como competição: há mercado para todos, e quantos mais empreendedores digitais houver, mais as pessoas vão optar primeiramente pelo digital como fonte de informação e conteúdo.

Para te relacionares com pessoas que admiras, começa por identificá-las e segue os seus projetos como fã. Só depois disso é que tentas uma aproximação mais direta.

Para te aproximares, tens várias opções:

  • através das redes sociais com o LinkedIn. Na Comunidade Digital tenho um vídeo inteiramente dedicado ao LinkedIn, onde te dou dicas para teres um perfil que impressiona à primeira vista;
  • email;
  • mensagem privada nas redes sociais;
  • abordagem num evento.

Qualquer que seja a tua abordagem, faz uma abordagem honesta, sincera e que mostre que és realmente um fã dessa pessoa. Nunca envies uma mensagem a alguém que não conheces bem ou não sabes o que faz!

Os eventos são uma forma poderosa para te relacionares de foram mais próxima com pessoas que admiras.

Nos eventos do Nomadismo Digital Portugal, fico de coração cheio quando vejo seguidores do projeto a abordar de forma genuína pessoas como a Vânia Ribeiro do blog Made by Choices, ou a Sofia de Assunção, autora do podcast Musas ou ainda o António Barbot do projeto Vida Macro.

Estas são apenas exemplos de três pessoas que foram minhas convidadas nos eventos presenciais, alguns deles reservados aos membros da Comunidade Digital.

Conclusão

Espero que este artigo te tenha ajudado a ter mais clareza. Se estás pronto para dar um passo em frente, convido-te a descobrires a Comunidade Digital.

A Comunidade Digital é uma plataforma na qual vais ter acesso a dezenas de conteúdos, vídeos e workshops práticos sobre trabalho remoto, empreendedorismo e marketing digital.

Se ainda não tiveres uma ideia, vais também aprender a encontrar a tua ideia de sucesso, a criares tempo na tua agenda para desenvolveres o teu projeto ou ainda a dar os primeiros passos mesmo quando não tens portfólio, clientes ou dinheiro.

Na Comunidade Digital são publicados conteúdos destinados a qualquer pessoa, qualquer que seja o seu background, ideia ou projeto. Quer seja um blog, uma carreira de freelancer, uma loja online ou um negócio físico, na Comunidade vais aprender a olhar para o digital como um aliado e a tratá-lo, finalmente, como teu amigo.

Para além de toda a aprendizagem, vais também ter acesso a um fórum exclusivo onde vais poder conversar e trocar ideias, desabafos e dúvidas com os outros membros. A comunidade da Comunidade vai fazer-te sentir menos sozinho nesta caminhada de desenvolvimento profissional e vai proporcionar-te um suporte único e uma ajuda essencial.

Este post foi modificado a 16/07/2019 19:39

Disqus Comments Loading...