Wanderlust consiste no forte desejo de viajar e explorar o mundo que nos rodeia. Este é um desejo citado, falado e analisado à séculos. Se perguntarmos a cada leitor do Nomadismo Digital Portugal “o que é que te faz feliz?”, apostamos que viajar estará na lista de cada um deles.

Viajar é um desejo que tem fascinado pessoas, vontade que parece passar de geração em geração. Hoje em dia, os wanderlusters têm a vida facilitada, pois é muito mais simples viajar pelo mundo do que era há umas décadas atrás!

Além disso, a “nova geração” é muito mais desapegada do que as anteriores. Esta geração pensa cada vez mais nas experiências e cada vez menos nos bens materiais.

A geração Wanderlust

As gerações anteriores à atual tinham, no geral, um tipo de pensamento: ganhar dinheiro, ter um diploma, encontrar um bom trabalho (no qual não eram, muitas vezes, reconhecidos e recompensados), trabalhar x horas, permanecer nesse trabalho durante 40 anos, comprar uma casa que é paga durante esses 40 anos, comprar um bom carro e acabar com uma boa reforma.

Este era o pensamento da maioria das pessoas das gerações anteriores à geração jovem atual.

No entanto, esta nova geração começa a pensar de forma diferente. Esta percebe que não é uma casa T4 com piscina e vista para o mar que a vai deixar feliz.

Não é o último modelo de carro que será a melhor compra. Porquê investir 20 mil euros num carro quando, com o mesmo dinheiro, se pode dar a volta ao mundo?

Este é um pensamento muito atual e se tu próprio pensas desta forma, não és sonhador: és realista! A realidade na qual nos encontramos não tem nenhum trabalho seguro ou para a vida, nenhuma vida é eterna e não sabes quando é que vais morrer (sobretudo numa realidade onde atentados parecem acontecer a cada minuto que passa).

E, nesta realidade, muitos recusam-se a adquirir bem materiais, pois percebem que o que fica é o imaterial: as experiências e as memórias.

E o futuro?

A ideia de não ter uma casa própria ou um carro próprio é assustadora para pais e gerações anteriores a esta. Provavelmente já ouviram diversas vezes, a frase “tens que pensar no teu futuro” ou “já não tens idade para…”. Muitos são aqueles que se questionam se irão ter um futuro de sucesso com as escolhas que fazem hoje.

A geração wanderlust está muito interligada à realidade e ao aumento dos nómadas digitais. Os nómadas digitais conseguem ter “o melhor dos dois mundos”: conseguem ter dinheiro (trabalhando naquilo que os faz feliz) para poder comprar e adquirir, por sua vez, experiências e memórias únicas.

Hoje em dia todos param para ouvir alguém que fez uma viagem nas férias, mas ninguém fica interessado se outra pessoa adquiriu um carro novo (a não ser que falemos com alguém da “geração anterior” que dá toda uma importância a bens materiais e nesse caso, o novo carro será tema de conversa durante semanas).

Viver com espírito wanderlust dá-nos futuro?

Sim. O futuro não precisa de estar hipotecado porque estamos sempre a viajar ou porque temos sede de movimento e descoberta. É possível criar um negócio (digital ou físico) que nos dê gozo e que nos proporcione uma renda passiva ou criar um “pé de meia” do nosso trabalho.

Mais do que investir em bens materiais, como casas ou carros, a nova geração de wanderlusters e nómadas digitais prefere até investir esse dinheiro em start-ups ou empresas. Não deixam de pensar no futuro (ou nos momentos nos quais preferem trabalhar menos e aproveitar mais!).

Antes de mais, deixem que vos contemos uma coisa: há uns tempos atrás era extremamente difícil abrir um negócio próprio. Nos dias de hoje, começamos um negócio quase a custo zero. Bem planeado, é possível começar mesmo a custo zero. Esse negócio irá acabar por render, eventualmente. Dinheiro para o futuro!

Outra forma? Poupando. Se recebes um ordenado, mesmo que não fixo, podes retirar sempre algum para que consigas ter dinheiro para o teu futuro. E, para tal, não precisas ter a vida que outras pessoas querem que tenhas.

A verdade é esta: o dinheiro não é o mais importante! A sensação de liberdade e de realização do teu espírito de wanderlust é muito mais importante.

As experiências vão contigo, o dinheiro não. O dinheiro não te irá trazer a felicidade que tudo o resto te trará.

Mas, se fores cético, pensa em tudo o que te dissemos acima. Tu consegues fazer vida a viajar como nómada digital. Consegues abrir um negócio e ganhar tão bem, ou ainda mais, do que se estivesse a trabalhar no escritório enquanto o teu patrão mandava em ti. Esta é a nova geração. Este é o futuro. Atreves-te a seguir este sonho?