Encontrar a área certa e saber como iniciá-la é provavelmente o maior desafio da carreira de um freelancer. Muitos acham que a maior dificuldade de ser freelancer é encontrar clientes, perceber como trabalhar mais e melhor e ser mais produtivo ou até manter esse trabalho para sempre.

Eu cá acho que a maior dificuldade de ser freelancer todas é o início.

Para ajudar nesse processo, criei para o Nomadismo Digital uma série de posts que, durante o mês de abril, te vão mostrar o passo-a-passo para iniciar uma carreira de freelancer do zero.

Eis o que vais poder aprender e desenvolver com esta série de publicações:

  • Como iniciar e encontrar a área certa
  • Como criar uma marca e presença online
  • Como encontrar e falar com os teus primeiros potenciais clientes
  • Como trabalhar legalmente como freelancer

Se procuras informação realmente útil para começares a iniciar o teu trabalho enquanto freelancer, esta série vai guiar-te nesse processo.

Antes de mergulhares na leitura deste artigo, começa por fazer o download do workbook que preparei para ti. Vais encontrar exercícios para complementar às informações deste artigo, ajudando-te a evoluir mais rapidamente nesta jornada:

O início é mesmo o mais difícil

E porque é que eu digo isto?

Porque mesmo quando sabemos o que é que gostamos de fazer e no que gostamos de trabalhar, não é fácil dar o primeiro passo e dizer: “ok, eu quero ser freelancer e trabalhar a fazer isto”.

Posso falar nesta dificuldade na primeira pessoa. Eu estive num curso de Comunicação, sempre gostei de escrever e sabia que o que me faria feliz profissionalmente iria envolver comunicar por escrito.

Mas sabia lá, no (não tão longíquo) ano de 2014, que me iria tornar freelancer em marketing digital. Até porque nem sabia muito bem o que era o marketing digital na altura.

Para conhecer a área na qual trabalho hoje enquanto freelancer, foi preciso passar por dezenas de outras áreas, por várias desilusões, por muito tempo (e dinheiro) investido em vão para, no final, perceber que “a técnica” para saber como encontrar a área certa e iniciar uma carreira nela não era assim tão complicada.

Como encontrar a área certa?

Com o tempo, fui percebendo que não existe a área certa para ser freelancer.

Desiludido?

Não fiques! Pensa nisso como um leque ainda maior de possibilidades que te vão permitir ter sucesso.

Um freelancer tem a liberdade de trabalhar no que quiser, experimentar vários caminhos profissionais e, mesmo quando descobre a área na qual se sente mais confortável, continuar a fazer tarefas aqui e ali complemente diferentes.

Descobrir essa ou essas áreas exige esforço e um processo de auto-conhecimento que nem sempre é fácil nem imediato.

Vamos começar por pôr em cima da mesa duas ideias:

  1. toda a gente tem competências que podem ser transformadas numa atividade de freelancer, mas
  2. nem todas as profissões são possíveis de trabalhar como freelancer.

Se ao princípio estas duas afirmações até parecem iguais, na realidade não podiam ser mais diferentes.

Todas as pessoas têm competências que se podem transformar numa atividade para ser freelancer. Desenhar, programar, decorar, remodelar, falar, cantar, fotografar, escrever, ajudar, aconselhar, planear…tudo isto são competências que podem ser monetizáveis.

No entanto, existem profissões que dificilmente podem ser transformadas, de forma assim, imediata, numa atividade remota. Quem tem a profissão de vendedor de loja dificilmente pode ser freelancer…mas esse mesmo vendedor tem competências que podem ser transformadas num serviço!

Confuso? Vou tentar simplificar.

Profissões vs competências

Imagina que és cozinheiro para um restaurante italiano e estás cansado de trabalhar em restaurante, queres trabalhar em projetos desafiantes, com horários flexíveis e numa atividade controlada a cem por cento por ti. No entanto, esta sempre foi a tua profissão desde sempre e não sabes como transformá-la num trabalho remoto e ser freelancer.

Bom, má notícia: não vais conseguir.

No entanto, tens competências que podem ser facilmente associadas em serviços que podes prestar enquanto freelancer:

  • Podes dar aulas de cozinha via Skype
  • Podes criar receitas personalizadas para empresas ou pessoas individuais
  • Podes definir planos de gestão para estabelecimentos
  • Podes avaliar estabelecimentos e criar um serviço de consultoria à volta dessa avaliação
  • Podes criar um blog de receitas e alimentação
  • Podes escrever conteúdos como ebooks sobre a cultura gastronómica italiana
  • etc, etc, etc.

Outro exemplo: trabalhas como secretário administrativo. Como deixar de trabalhar fisicamente em empresas e começar a trabalhar remotamente a partir de casa com as tuas competências?

Opções, mais uma vez, não faltam:

  • Podes ser assistente virtual para outros trabalhadores, empresários ou empresas
  • Podes dar sessões de consultoria e acompanhamento para pessoas que procuram organizar a vida (pessoal, familiar e profissional) via Skype
  • Podes fornecer serviços de gestão de contas, compras, marcações,…
  • Podes criar um serviço de organização e gestão de eventos
  • etc, etc, etc

Vá, e como último exemplo: o tal vendedor de loja! Um vendedor de loja dificilmente pode continuar a trabalhar como vendedor de loja física estando em casa ou na Tailândia…mas têm dezenas de opções para aproveitar as competências profissionais que tem:

  • Criar uma loja online e geri-la remotamente
  • Trabalhar como consultor para lojas online
  • Fazer suporte comercial para empresas
  • Ajudar na criação estratégica de lojas
  • Avaliar lojas e prestar conselhos e opiniões estratégicas
  • etc, etc, etc

E estas ideias apareceram-me de forma imediata, sem ter investido muito tempo para pensar muito nelas.

Qual o primeiro passo?

O primeiro passo para ser freelancer e perceberes o que é que podes fazer para ganhar dinheiro, é responderes às seguintes perguntas:

  • Que competências profissionais tens? e
  • Como é que elas podem ser transformadas e associadas a um serviço útil e que possa ser realizado online?

Dentro da mesma área de atuação, podes ter um leque variadíssimo de serviços. Ofereceres vários tipos de serviços permite ser um freelancer variado, polivalente e com mais oportunidades profissionais à tua frente!

Ahh, isso exige muito trabalho…

Eu bem disse que o início era o mais difícil.

A importância do brainstorming

Um conselho para agilizares toda a tua carreira desde o início (e não estares mais de um ano a fazeres demasiadas coisas que não gostas como alguém que conheço ~~euu~~), é parares agora durante algumas horas ou dias e fazeres uma lista de todas as ideias que te vêem à mente sobre esta fase.

Para te ajudar, descarrega o documento criado especialmente para esta publicação. Nele encontrarás uma checklist que resume todos os passos a seguir. Teres todas essas informações organizadas ajuda-te a que não te percas (a ti e ao tempo).

Para além da checklist, podes também perceber melhor qual é a diferença entre competência e área de atuação e porque é que, na minha opinião pessoal, convém concentrares-te (de cada vez) em uma ou poucas áreas de atuação:

Como já vimos, cada área implica várias e diferentes competências. Quanto mais focado em algo preciso estiveres, maior será a tua probabilidade de sucesso!

Este exercício de brainstorming e auto-conhecimento vai ajudar-te a perceber o que sabes e o que gostas de fazer. Isso é essencial para que comeces logo desde o início a tua carreira de freelancer especializando-te e posicionando-te numa área de atuação na qual te sentes bem.

Começa a trabalhar para ser freelancer

No próximo artigo desta série Ser Freelancer, vamos falar de como podes começar a trabalhar a tua marca e presença online, e pequeno spoiler: não vamos falar de ter uma conta no Facebook ou no Instagram.

Vamos falar de uma presença online a sério, daquelas que vale a pena conhecer e seguir. Ter uma boa marca é essencial para qualquer produto…e agora, tu, como freelancer, és uma marca que precisa de ser conhecida e, sobretudo, reconhecida.

Até lá, tens agora sete dias para fazer os exercício deste primeiro post. Conto contigo para te conheceres melhor. Investe o tempo que for necessário, faz listas com dezenas ou centenas de opções e caminhos profissionais: só depois de teres todas as opções visíveis é que vais conseguir perceber e analisar se são viáveis ou não.

Ter ideias escritas ajuda a que as tuas ideias não se dispersem e se percam no meio dos milhares de pensamentos que tens.

E tu?

Não hesites em deixar um comentário sobre as ideias e dúvidas que tiveres durante o teu brainstorming e trabalho de ser freelancer. Qual é a tua maior dificuldade em pensar em possíveis serviços que podes vir a oferecer?

Gostaste? Dá o teu like neste post! ❤️
Freelancer em Marketing Digital, apaixonada por movimento e viagens, lançou em 2016 o primeiro site português dedicado ao Nomadismo Digital.